Mosquito é tema de debate

O mosquito é uma praga que regularmente atormenta os companheiros nas pescarias, e que atende pelos mais variados nomes: pernilongo, mutuca, pium, pórvinha, muriçoca, borrachudo e outros.

Em alguns lugares, esses bichos chegam a ser "educados", e atacam alternadamente: os pernilongos pela manhã e à tardinha, e os piuns ou pólvoras durante o dia ...

 

Lembrei-me da primeira receita que conheci e que data de quando era garoto lá no interior, nas pescarias de ribeirão: quando a gente se acomodava no barranco de um pesqueiro predileto, os mais velhos amontoavam bosta de boi seca e botavam fogo, bem ao lado. E ainda acendiam os pitos de palha, feitos com fumo de corda de qualidade variável, tudo isso com o objetivo de espantar os mosquitos, que estavam sempre presentes. Como se vê, a participação desses oportunistas indesejáveis está definitivamente ligada às pescarias em rios, represas e lagoas.


 
O que fazer para se livrar dos mosquitos?   Alguns afortunados que vão pescar na Amazônia em rios de água escura, como o Negro e outros, não são incomodados pois a água daqueles rios, por suas características, não permite a reprodução desses insetos. Lá se pode até dormir no relento, mas no restante do Brasil é preciso se proteger, usando os recursos disponíveis.

 

Pescadores mais sensíveis se cobrem com luvas, véus e mosquiteiros, e utilizam os repelentes disponíveis no mercado.  Aqui não há nenhuma intenção publicitária, mas pessoalmente acho que o produto que tem atuado melhor e por mais tempo como proteção é o da marca Autan, clássico, com aplicação por aerossol.  Saia para o rio com o repelente já aplicado e evite que o produto atinja suas mãos, lavando sempre com sabão neutro após a aplicação, para o repelente não atingir as iscas. Se o ataque dos mosquitos estiver cerrado, renove a aplicação em intervalos de duas a três horas. É bom levar na bagagem um produto anti-alérgico, hoje existente também na forma de cremes, para aliviar a coceira resultante das picadas.

 

Já apareceram à venda diversas versões de aparelhos movidos a bateria, que emitem sinais ultrassônicos, e que serviriam para manter os mosquitos à distância. O simples fato de que eles não são campeões de vendas mostra que é duvidosa a sua eficácia no combate aos mosquitos.

 

O ataque da mosquitada ocorre com mais intensidade no início da manhã ao nascer do sol, e no fim da tarde até escurecer.  Em certos lugares, como no Pantanal, iniciar a pescaria um pouco mais tarde e terminá-la por volta das cinco horas vai dar um certo alívio aos pescadores. Quando você estiver pescando embarcado, sempre que possível escolha pesqueiros longe da vegetação das margens, pois os mosquitos buscam abrigo ali, e evitam sair no espaço aberto por causa do vento.

 

Na verdade, não existe um remédio definitivo para nos livrarmos dos mosquitos.  Outro dia, numa roda de médicos pescadores, surgiu o assunto e um deles indicou aos demais um santo remédio para o problema, que é aplicar no corpo óleo de amêndoas.  Fiquei curioso e perguntei se esse óleo teria algum componente que repele os insetos, e ele disse que na verdade o óleo servia para grudar as asas dos mosquitos na pele tão logo eles pousavam, impedindo assim sua ação. Mas acrescentou que só funciona com os piuns...

 

Você tem alguma solução ou sugestão para nos livrar dos mosquitos?

Microfish Ltda - GUIAS-de-PESCA

Rua Espírito Santo, 341, Loja 508 Centro, Belo Horizonte - MG CEP: 30160-030

(31) 3201-0523

guiasdepescabh@gmailcom

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google ícone social Places